Óleos Essenciais de Cymbopogon Winterianus e Cymbopogon Flexuosus e Uso da Nanotecnologia no Controle de Doenças da Avena Sativa

Grupos/Linhas de pesquisa:
Biodiversidade e Ambiente/ Biodiversidade e ambiente

Programas/Linhas de Pesquisa (Mestrados/Doutorados):
Sistemas Ambientais e Sustentabilidade/ Qualidade Ambiental em Sistemas Produtivos

Duração: 01/01/2022 até 31/12/2024

Participantes:

Resumo:

A aveia branca (Avena sativa) é uma cultura amplamente recomendada para o período de inverno na região sul do Brasil, tanto pela sua versatilidade de utilização, como cobertura de solo, forragem, feno, silagem e produção de grãos, quanto pelas suas características favoráveis para consumo humano e animal. Entretanto, as condições edafoclimáticas presentes no Estado do Rio Grande do Sul, favorecem o aparecimento de doenças, como ferrugem do colmo, brusone, mancha marrom, recebendo maior destaque devido à sua severidade a ferrugem da folha, causada pelo fungo Puccinia coronata f. sp avenae, e a helmintosporiose, causada pelo fungo Drechslera avenae (Eidham) Sarif. Para controle dos mesmos, são utilizados antifúngicos de origem sintética, contribuindo para a contaminação dos ecossistemas, solo, água e seres humanos. A exigência por alimentos com menores níveis de contaminação por agrotóxicos fica evidente, uma vez que o aparecimento de doenças relacionadas ao seu uso cresce continuamente. Dentre as alternativas sustentáveis, surgem os óleos essenciais, que podem ser uma alternativa à substituição de fungicidas sintéticos, por possuírem potencial biológico e por serem moléculas relativamente seguras como produtos agrícolas. O objetivo do estudo é o desenvolvimento de uma tecnologia de manejo para redução ou ausência de fungicida na cultura da aveia por utilização de óleos essenciais livres e nanoemulsionados, aplicados via foliar, em condições reais de cultivo, considerando a interação ambiente-patógeno-hospedeiro. O experimento será dividido em quatro etapas distintas, a primeira será constituída pela extração de óleos essenciais, preparação das nanoemulsões e caracterização físico-química das nanoemulsões; a segunda fase está pautada no teste de sensibilidade fúngica in vitro e determinação das concentrações fungicidas mínimas; a terceira fase concentra a análise de efeito genotóxico em Allium cepa e de toxicidade em Artemia salina envolvendo os óleos essenciais livres e nanoemulsionados; a quarta fase representa a validação dos óleos livres e nanoemulsionados no controle de doenças foliares da aveia em condições reais de cultivo.

Obs: Essas informações são de responsabilidade do coordenador do projeto.