Governança, Planejamento e Desenvolvimento Territoriais: Políticas Públicas, Redes e Dinâmicas Sócio-Espaciais Urbanas e Regionais - 2018/2023

Programas/Linhas de Pesquisa (Mestrados/Doutorados):
Gestão de Organizações e do Desenvolvimento/ Políticas Públicas e Gestão Social

Grupos/Linhas de pesquisa:
Grupo Interdisciplinar de Estudos em Gestão e Políticas Públicas, Desenvolvimento, Comunicação e Cidadania - GPDeC/ Gestão territorial e desenvolvimento regional

Programas/Linhas de Pesquisa (Mestrados/Doutorados):
Planejamento e Gestão/ Políticas Públicas, Planejamento Urbano e Gestão do Território

Duração: 01/08/2018 até 31/12/2023

Participantes:

Resumo:

Historicamente os conceitos e as práticas de governança, planejamento e desenvolvimento territoriais, bem como as politicas públicas, as redes e as dinâmicas sócio espaciais indicam compreensões distintas, especialmente pelo olhar teórico-metodológico que orientam as investigações científicas. Portanto, as diferentes leituras advindas das ciências, oportunizam ricos diálogos nesse ambiente que passa a ser um campo interdisciplinar, onde o território passa a ser um objeto de estudo, como sendo uma porção de terra, em uma dimensão material, um espaço com efetivações jurídicas, com sentimentos de identidade, balizado, modificado, transformado pelas redes e fluxos que revelam relações de poder, uma dimensão política, um espaço de exercício institucional, uma configuração municipal ou regional, que ultrapassa a escala nacional. Esse processo e espaço apontam a necessidades de pesquisas. Olhar o território como um espaço de exercício da vida, de sentimento, um lugar de trabalho, entre atores e processos em constante movimento, de conexões, de diferentes escalas espaciais, o que indica a presença de redes, de caráter instável, pelas suas variações do fluxo que induzem conexões novas em cada etapa, inovações no tecer da rede, novas adaptações em diversos ambientes. Assim, a rede permeia o campo social e político, pelas pessoas, valores, costumes, seus nós de bifurcação ou de comunicação. Além, de assinalar a infraestrutura, de transporte, energia, comunicação. Porém, as redes são animadas por fluxos, por dinâmicas locais, quanto globais, com maior densidade pelas demandas das grandes organizações, que podem estabelecer relações de cooperação ou de conflito. São instrumentos de poder, de integração ou de exclusão, desigualdade. Esse movimento desafia a governança no processo de desenvolvimento regional, ao buscar a superação das desigualdades no território, ao buscar mudanças sociais e econômicas, o fortalecimento da sociedade civil, a obtenção da percepção de pertença local e regional, assentado na cultura, na natureza e nos valores éticos, na organização das comunidades locais, na participação social, ao empoderar a governança no território. Por fim, há que se ter presente, que a sociedade é um intenso campo de complexidade, mobilidade e fluidez, onde se encontra um exercício, controlar o espaço necessário para a reprodução social, o que desafia as pesquisas e as dinâmicas relacionais existentes no território.

Obs: Essas informações são de responsabilidade do coordenador do projeto.