Acompanhamento do Crescimento e do Desenvolvimento Neuropsicomotor em Prematuros

Grupos/Linhas de pesquisa:
Atenção à Saúde/ Promoção, prevenção e intervenção em saúde

Duração: 04/05/2016 até 03/05/2021

Participantes:

Resumo:

Nos países em desenvolvimento a prematuridade é um grande problema de saúde pública, no mundo nascem 15 milhões de bebês prematuros por ano, e o Brasil está décimo lugar, com 279 mil (9,2%) dos partos antes de 37 semanas de gestação, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. O acompanhamento e a qualidade no atendimento de uma equipe interdisciplinar logo após a alta hospitalar destes bebês é de extrema importância para prevenir e tratar atrasos do desenvolvimento global. A questão que esta pesquisa se propõe a responder é: Qual o impacto da prematuridade no crescimento e no desenvolvimento da criança até os 3 anos de vida? Nosso objetivo principal será avaliar e acompanhar o crescimento e o desenvolvimento neuropsicomotor de prematuros após alta hospitalar. Como objetivos específicos teremos: Traçar o perfil dos prematuros que internam na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTIN) quanto à idade gestacional, peso ao nascimento e sexo; Identificar os principais fatores de risco para prematuridade nesta unidade; Investigar as características sociodemográficas e escolaridade dos pais de prematuros na UTIN; Verificar o tempo de internação dos prematuros nesta unidade; Avaliar a percepção de qualidade da assistência prestada pela unidade na visão dos responsáveis pelo prematuro; Avaliar e acompanhar o estado nutricional de prematuros pós alta da UTIN; Investigar a prevalência e o tipo de aleitamento materno durante a internação na UTIN e após a alta hospitalar; Investigar a duração do aleitamento materno dos prematuros; Identificar possíveis atrasos de desenvolvimento neuropsicomotor (DNPM) e realizar intervenção precoce nos prematuros com esta necessidade. Trata-se de um estudo de seguimento populacional (Coorte) que tem a intenção de acompanhar o crescimento e o desenvolvimento dos prematuros internados em UTIN e após a alta hospitalar. O período previsto de seguimento é de 3 anos com início das atividades em 2016. A captação da população acontecerá de maio 2016 à maio de 2019.Os responsáveis por estes bebês após assinatura do TCLE, irão responder um questionário com perguntas sobre características sociodemográficas, escolaridade, dados pré e peri natais; tempo de internação e avaliação da assistência prestada. Após a alta hospitalar o prematuro será encaminhado para Clínica Escola de Fisioterapia da UNIJUÍ. O bebê será submetido à avaliação do estado nutricional, crescimento e do DNPM . Os bebês que, após a avaliação, observado a necessidade de intervenção, seja por risco de atraso do DNPM ou por questões relativas à alimentação e crescimento, serão encaminhados para os devidos atendimentos. No caso do bebê necessitar de intervenção, a mesma será realizada por pesquisadores treinados, com frequência e duração de acordo com a necessidade de cada bebê. A intervenção ou estimulação precoce irá basear-se em exercícios que visam ao desenvolvimento da criança de acordo com a fase em que ela se encontra. Se durante o período de atendimento o bebê apresentar condições de alta da intervenção, este será encaminhado para o acompanhamento conforme descrito abaixo. Todos os bebês que após o período previsto de acompanhamento desta coorte (3 anos), necessitarem permanecer em atendimento serão encaminhados para as atividades acadêmicas da Clínica Escola ou para Unidade de referência de seu município, garantindo a continuidade do tratamento. Àqueles que não forem diagnosticados com esta necessidade serão acompanhados mensalmente até o bebê completar 6 meses de idade corrigida. Após esta idade, as avaliações se repetirão trimestralmente até os 18 meses de idade corrigida, quando então, será reagendado nova avaliação para a idade corrigida de 24 meses, 30 meses e 36 meses.

Obs: Essas informações são de responsabilidade do coordenador do projeto.